Auto Papo – Queda na produção de veículos em 2020

Auto Papo – Queda na produção de veículos em 2020

No ano de 2020 a produção de veículos atingiu a marca de 2,01 milhões de unidades, uma queda de 31,6% em relação a 2019 e nunca se via um cenário tão ruim desde o ano de 2003, ou seja, há 17 anos. Os números que englobam carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus foram divulgados pela Anfavea, a entidade que representa as montadoras instaladas no país.

Essa considerável queda se dá por vários fatores, sendo o principal a parada total da linha de produção em praticamente todas as montadoras nacionais no início da pandemia do Coronavirus. Outros fatores que contribuiram para o desempenho negativo foi a falta de peças, o fechamento de concessionárias para obedecer as restrições impostas pelo Poder Público, isolamentos trazidos por protocolos de prevenção nas fábricas, a crise econômica provocada pela Covid 19 onde muitos consumidores perderam renda e emprego e a alta do dólar que gerou aumento de preço da matéria prima para a produção de veículos.

Ainda assim o setor automotivo inicia o ano de 2021 com estoque de veículos suficiente para apenas 12 dias de venda, o menor nível da história devido a baixa produção que tem capacidade de produzir 5 milhões de veículos anuais, mas só produziu 2 milhões, gerando uma ociosidade no ano passado de 3 milhões de unidades.

Quando é feita a distinção por setores no resultado de 2020 a produção de carros de passeio e utilitários leves teve uma queda de 32,1%, de caminhões caiu 19,9% e de ônibus o pior resultado negativo de 33,5%. Outro balanço negativo se deu nos empregos do setor automotivo que eliminou mais de 10 mil vagas, situação essa que foi agravada pelo fim da Ford no Brasil que após mais de cem anos encerrou as suas atividades produtivas no país e demitiu 5 mil funcionários.

Para 2021 espera-se uma pequena recuperação, mas tudo depende da involução dos casos de Coronavirus, da baixa do dólar, da recuperação da economia do país e de incentivos públicos que ultimamente caminha no sentido contrário, vide a decisão do Governador do Estado de São Paulo, João Doria, que aumentou a alíquota de ICMS nas transações de veículos novos e usados. Dessa maneira é muito difícil fazer uma projeção precisa de crescimento do setor diante de tantos fatores prejudiciais sem solução a curto prazo.

Crédito das fotos:
www.veja.abril.com.br
www.agencianacional.com.br

Um jovem com brilho de conhecimento de diversas áreas. Amante de automobilismo, aviação, motos e porque não dizer que tem uma inspiração de variados assuntos. Quem o conhece se encanta e sente nele um mundo que não é esse por sua pureza, educação e presteza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *