Auto Papo – Corrente ou Correia – Vantagens e Desvantagens

Auto Papo – Corrente ou Correia – Vantagens e Desvantagens

A corrente ou correia de distribuição são as responsáveis pelo sincronismo correto entre o virabrequim e o eixo-comando de válvulas, assim garantindo o movimento correto dos pistões nos cilindros e a abertura e o fechamento de válvulas de modo sincronizado, ou seja, corrente ou correia são fundamentais para o prefeito funcionamento do motor e devem passar por manutenção conforme descrito no manual do proprietário de cada veículo, caso contrário irá gerar prejuízo no bolso do motorista.

Há quem seja adepto às correntes, já outros preferem as tradicionais correias. Tem montadora que no projeto do carro opta por uma ou por outra, seja por questão de custo, tendo em vista que correias são mais em conta, ou escolhem o uso das correntes, principalmente em motores mais compactos e eficientes.

Em questão de econonia, a correia dentada é bem mais vantajosa. A diferença pode chegar a 15 vezes dentro da própria marca, podendo ser citado como exemplo na rede Volkswagen onde um kit de correia dentada do modelo Gol sai por 100 reais, já o conjunto de corrente do Tiguan e do Jetta TSI chega a 1500 reais.

No quesito durabilidade, a corrente tem vida útil mais longa que pode durar o mesmo tempo do motor sem substituição, desde que o óleo lubrificante do propulsor seja trocado nos intervalos corretos. Por outro lado, a correia dentada pede a troca em média a cada 50 e 60 mil km, salvo raras exceções como a Volkswagen que indica a substituição a cada 120 mil km ou 4 anos e meio e a Ford no modelo ka a cada 240 mil km.

No que tange os ruídos, a lenda de que a corrente é mais barulhenta é coisa do passado de meados dos anos 70 e 80. Atualmente as correntes emitem praticamente o mesmo ruído das correias devido ao avanço tecnológico e da engenharia.

Na hora que o consumidor adquire um veículo, são poucos os que se preocupam se o modelo é equipado com corrente ou correia, assim sendo, o ideal é pesquisar no manual do proprietário ou consultar o mecânico de confiança e fazer a manutenção preventiva que em regra ocorre a cada 10 mil km ou 1 ano, afinal é melhor se valer da regra que é menos oneroso prevenir do que remediar.

Crédito das fotos:
www.revistacarro.com.br
www.carrodegaragem.com

Um jovem com brilho de conhecimento de diversas áreas. Amante de automobilismo, aviação, motos e porque não dizer que tem uma inspiração de variados assuntos. Quem o conhece se encanta e sente nele um mundo que não é esse por sua pureza, educação e presteza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *